CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE

Seja bem-vindo a "CRISTIANISMO E UNIVERSIDADE". Aqui procuraremos apresentar artigos acerca de assuntos acadêmicos relacionados aos mais diversos saberes, mantendo sempre a premissa de que a teologia é a rainha das ciências, pois trata dos fundamentos (pressupostos) de todo pensamento, bem como de seu encerramento ou coroamento final. Inspiramo-nos em John Wesley, leitor voraz de poesia e filosofia clássica, conhecedor e professor de várias línguas, escritor de livros de medicina, teólogo, filantropo, professor de Oxford e pregador fervoroso do avivamento espiritual que incendiou a Inglaterra no século XVIII.

A situação atual é avaliada dentro de seus vários aspectos modais (econômico, jurídico, político, linguístico, etc.), mas com a certeza de que esses momentos da realidade precisam encontrar um fator último e absoluto que lhes dê coerência. Esse fator último define a cosmovisão adotada. Caso não reconheçamos Deus nela, incorreremos no erro de absolutizar algum aspecto modal, que é relativo por definição.

A nossa cosmovisão não é baseada na dicotomia "forma e matéria" (pensamento greco-clássico), nem na dicotomia "natureza-graça" (catolicismo), nem na "natureza-liberdade" (humanismo), mas, sim, na tricotomia "criação-queda-redenção" (pensamento evangélico).

ESTE BLOG INICIOU EM 09 DE JANEIRO DE 2012





quinta-feira, 11 de maio de 2017

Cristianismo e Liberdade Civil






Dr. Jedidiah Morse em sermão pregado em 1799 em Charlestown, Massachusetts, disse:


“Em todos aqueles países onde existe pouca religião ou religião rude ou corrupta, como entre os países muçulmanos e pagãos, ali você vai encontrar, com no máximo uma única exceção, arbitrariedade e governo tirânico, ignorância grosseira e maldade, e deplorável pobreza entre o povo. À influência gentil do cristianismo nós devemos o grau de liberdade civil e felicidade social e política do qual o ser humano agora desfruta... Se assim for, segue que todos os esforços feitos para destruir as fundações da santa religião, em último caso, tendem a subverter também a nossa liberdade política e nossa felicidade. Quando os pilares do Cristianismo forem destruídos, nossa presente forma republicana de governo e todas as bênçãos que dela fluem, cairão com elas.” 

domingo, 23 de abril de 2017

MONTESQUIEU E O DESIGN INTELIGENTE



MONTESQUIEU (1689-1755), em o “Espírito das Leis” (Livro I, Cap. I), defendeu a Teoria do Design Inteligente:

“Os que disseram que uma fatalidade cega produziu todos os efeitos que vemos no mundo, disseram uma grande absurdidade. Pois que absurdidade maior do que uma fatalidade cega que teria produzido seres inteligentes?... Deus tem relação com o universo, como criador e conservador: as leis segundo as quais ele criou são aquelas segundo as quais ele conserva. Ele age segundo regras, porque as conhece; ele as conhece, porque as fez, por terem relação com a sua sabedoria e o seu poder.”